A vontade de vender e a falta de vontade

Olá

O título é diferente e levemente provocativo, mas acredito que a leitura em si será capaz de justificá-lo…

Para ser sincera um dos motivos que mais me motiva a fazer compras na Internet, tem relação, primeiro com as possibilidades que a Internet nos fornece, depois os preços dos produtos, já que sempre busco e prezo o melhor para o “meu bolso” e por fim, motivado pelo atendimento (#precário) prestado aos clientes em estabelecimentos comerciais.

Vamos pensar, na teoria, na Internet você não sabe quem é o comprador, quero dizer, você não vê a face ou a roupa que a pessoa usa para fazer uma compra. Na verdade não deixa de ser um “falso anonimato” (#Google, Facebook e por aí vai). Então eu acredito que qualquer tipo de “preconceito” é um pouco mais mascarado do que na vida real. Bom, já deixo claro que isso é apenas minha opinião pessoal sem rigor científico, passível de ser mudada, desde que convencida por meio de bons argumentos.

Ainda assim, acredito que a opinião aqui expressa é o reflexo das minhas atitudes (#óbvio né?!), quero dizer, eu sou do tipo de pessoa que acredita que “um olhar vale mais que mil palavras”. Não tem nada mais entristecedor do que ser analisada dos pés a cabeça por um profissional de um estabelecimento comercial. Local este que você entrou a princípio, por ter interesse em algum produto? Oi, tudo bem? Se eu entrei é porque tenho uma necessidade/interesse. Se o produto oferecido será útil ou suprirá minhas necessidades é consequência e mera causalidade.

Não sei se a vontade de vender é tamanha que chega a “blindar” a visão da pessoa, a ponto dela manter a maldade no olhar e no coração. Não tenho obrigação de usar salto 15, fazer escova e usar maquiagem para frequentar o supermercado ou a banca de jornal para receber um atendimento educado.

Eu acho esse comportamente totalmente provinciano. Se esse mal estar tiver relação com a moda, todos sabemos que a moda atualmente está bem mais democrática e inclusive passível de ser estabelecida por um estilo pessoal, então atualize-se, faz bem!. Por outro lado, acho que temos que estabelecer o direito do ser humano de ser simples, básico mas sem perder sua higiênico, em outras palavras, o famoso “sou pobre, mas sou limpinho”, sabe?! hahahahahaha😀 Estou certa, né?!

O que quero dizer é que qualquer cliente que por causalidade entrou em um estabelecimento comercial, deve ser bem atendido. Goste o atendente das feições físicas do sujeito ou não, ele é um cliente e merece atendimento decente. Pense comigo, o cliente pode ter entrado em seu estabelecimento, por curiosidade ou por uma necessidade, acredite, se o cliente não gostou do atendimento ele não voltará e muito menos recomendará o local. Acredite o “boca a boca” ainda é altamente visado e procurado. Pode ser feito tanto pessoalmente quanto virtualmente Visite fóruns de avaliação e você verá o Reclame aqui é um deles e serve para ambos os espaços (#físico #virtual).

E também há outro fator a ser considerado, já que o espaço virtual ampliou as possibilidades do ser humano, tirou as restrições geográficas, temporais e comunicacionais. Pense, se eu tenho a opção de comprar e receber no conforto da minha casa sem sair do lugar, porque nao o farei?. Por outro lado, tem o incoveniente de não ter como tatear ou ver de perto o produto, ou o auxílio de um atendente que pode me auxiliar a escolher ou indicar outro produto mais adequado. O mais próximo do atendimento seriam as sugestões ao final das páginas e o bate papo. Ainda assim, vale lembrar que temos os fóruns virtuais, as redes sociais e os próprios blogs que dividem suas impressões e opiniões sobre produtos e estabelecimentos comerciais.

A propósito não é vergonha alguma usar cartão de crédito, caso você não saiba, existe a opção de parcelamento para todos os clientes, independente do tipo, seja abastado ou não, cartão de crédito não é sinal de pobreza. Lembre-se: cartão de crédito é moeda universal. Também, vale lembrar que todo e qualquer cliente paga por uma anuidade (Eu pago e bem caro!). Acho tão irônico, quando você entrega seu cartão á um atendente e ele te olha com cara de desdenho e diz: “crédito” senhora? Como se pagar com cartão de crédito fosse um pacto monstruoso. Só um lembrete caro vendedor: fatura de cartão não paga implica em bloqueio de cartão.

Caso não saibam minha profissão também é passível de análise quanto ao atendimento aos usuários. Não tenho o direito de escolher usuários, no caso, pior ainda, escolher pelos usuários que me perguntem o que sei responder. Esses são os usuários mais fáceis de atender, mas não significa que serão os melhores atendidos, todos serão igualmente atendidos. Usuários são usuários e ponto final e merecem respeito e atendimento igual!

Esta semana vi alguns tipos de “bons atendentes” que me suscitaram a vontade de dividir essas palavras. Já aconteceu algo contigo e não achou legal? Quer dividir? Sinta-se á vontade.

Have a sunshine day!

Comente aqui. Comentários considerados de natureza agressiva não serão aceitos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s